Relógio de Flores

Na Praça Tavares Correia, onde fica o famoso Relógio de Flores, contamos as histórias dos Contos de Amor. São os seguintes contos: ‘Quebra-Nozes e os Quatro Reinos’, ‘Ella Encantada’, ‘Que Belas Tranças, Rapunzel!’ e ‘O Mundo Doce do Noel’.

São histórias que remetem ao lúdico do imaginário infantil e encantam crianças e adultos, falando de amor e esperança.

QUEBRA-NOZES E OS QUATRO REINOS

Todos os Natais muitas famílias desfrutam da lendária história do Quebra-Nozes, mas este ano vai ter a oportunidade de ver uma versão totalmente nova e partir numa fantástica aventura para um mundo mágico cheio de magnificência e magia.

O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos é protagonizado por Clara, uma curiosa e inventiva jovem. Com a família a enfrentar o seu primeiro natal sem a sua mãe, Clara inadvertidamente parte numa aventura em busca da chave que pode devolver a harmonia a um mundo instável.

Através de um misterioso fio dourado, Clara entra num mundo paralelo com quatro reinos.

O Palácio

Antes de se aventurar nos Quatro Reinos, o Palácio é o centro do conto e onde todos os reinos convergem. Afastando-se dos palácios dos contos de fadas clássicos, o seu aspecto visual foi altamente influenciado pela arquitetura e design Russos.

Dentro do palácio encontra-se a sala do trono, a partir de onde é possível ver para todos os outros reinos. Mas, para entrar, Clara tem de passar por Cavalier e Harlequin, os guardas do palácio, que preferem fugir do perigo a ter de o enfrentar.

TERRA DAS FLORES

O primeiro reino fantástico é a Terra das Flores, o lar dos apicultores e agricultores que produzem flores e trigo.

Inspirado pelos moinhos holandeses e pelas aldeias inglesas do Sul, o reino está repleto de flores, frutos e vegetais e é governado por Hawthorne, o rei da Terra das Flores. Emocional, exuberante e cheio de entusiasmo, Hawthorne afasta-se dos conflitos, mas recebe Clara com pompa e circunstância.

TERRA DOS FLOCOS DE NEVE

Lar dos políticos, produtores de gelo e mineiros, este reino é semelhante a um hotel de gelo gigante com um sistema de transporte composto principalmente por trenós puxados por renas. Shiver governa este reino e é um cavalheiro educado e muito mais amigável do que o seu gelado aspeto exterior sugere.

TERRA DOS DOCES

Este reino é o sonho de um amante de doces, com paredes de nougat, telhas de chocolate e janelas com vidro feito de doces derretidos.

Este reino é inspirado pela Fada do Açúcar, que veste um vestido de açúcar cristalizado. Como regente deste reino e amiga da falecida mãe de Clara, ela acolhe carinhosamente Clara, declarando-a convidada de honra de uma extravagante celebração.

O QUARTO REINO

Enquanto os outros reinos estão cheios de pitorescas personagens e decorações únicas, uma coisa une os seus cidadãos – o medo do tenebroso Quarto Reino.

Anteriormente conhecido como o Reino das Diversões, com o seu carrossel abandonado e feira de diversões esquecida, uma grave disputa levou ao exílio do seu líder. Com flamejante cabelo vermelho, aparência de boneca de porcelana partida e um exército de ratos, a Mãe Ruiva é uma maléfica tirana que Clara pode ter de enfrentar.

 

QUE BELAS TRANÇAS, RAPUNZEL!

Era uma vez um casal sem filhos que queria muito uma criança, eram vizinhos de uma bruxa muito temida, malvada, ciumenta e poderosa. A esposa, ao fim da gravidez, sentiu um grande desejo por comer rabanetes, variedade de nabos que só cresciam no pomar da feiticeira. Por uma noite, o marido saiu e invadiu o pomar para saciar os desejos da esposa, mas na segunda noite, enquanto escalava a parede para retornar para casa, a malvada bruxa aparece acusando-o de furto. O homem implorou por misericórdia, e a velha mulher concordou em absolve-lo desde que a criança lhe fosse entregue ao nascer. Desesperado, o homem concordou; uma linda menina nasceu, e foi entregue à bruxa, que nomeou-a Rapunzel (fazendo referência aos rabanetes que lhe foram roubados).

Quando Rapunzel alcançou doze anos, a bruxa trancafiou-a numa torre alta, sem portas ou escadas, com apenas uma janela no topo. Quando a bruxa queria subir a torre, mandava que Rapunzel estendesse suas tranças douradas, e ela colocava seu cabelo num gancho de modo que a bruxa pudesse subir por ele.

Um dia, um príncipe que cavalgava no bosque próximo ouviu Rapunzel cantando na torre. Extasiado pela voz, foi procurar a menina, e encontrou a torre, mas nenhuma porta. Foi retornando frequentemente, escutando a menina cantar, e um dia avistou uma visita da bruxa, assim aprendendo como subir a torre.

Quando a bruxa foi embora, pediu que Rapunzel soltasse suas tranças e, ao subir, pediu-a em casamento. Rapunzel concordou. Juntos fizeram um plano: o príncipe viria cada noite (assim evitando a bruxa, que a visitava pelo dia), e trar-lhe-ia seda, que Rapunzel teceria gradualmente em uma escada. Como todos os dias, o príncipe foi visitar Rapunzel mas a bruxa apanhou-o.

Na raiva, a bruxa cortou as madeixas de Rapunzel e fez-se passar por ela. Quando o príncipe chegou naquela noite, a bruxa deixou as tranças caírem para transportá-lo para cima. O príncipe percebeu horrorizado que Rapunzel não estava mais ali; a bruxa disse que nunca mais a veria e empurrou-o até os espinhos de baixo, que o cegaram.

Por anos, ele vagou pelas terras devastadas do país e eventualmente chegou ao deserto onde agora Rapunzel vivia com os gêmeos que ela dera à luz, um menino e uma menina, filhos do príncipe. Um dia, enquanto ela cantava, ele ouviu a voz dela novamente e eles se reuniram. Quando eles caíram nos braços um do outro, as lágrimas dela imediatamente restauraram a visão do amado. Ele levou Rapunzel e seus gêmeos para o seu reino, onde eles viveram felizes para sempre.

 

ELLA ENCANTADA

Cinderela era uma menina órfã de pai e mãe que ficou sob a guarda da madrasta, uma mulher cruel, que governava a casa com a ajuda da suas duas filhas. Entre as garotas e a protagonista não existia qualquer ligação de carinho: pelo contrário, elas invejavam a sua beleza e a humilhavam.

Conhecida como “Gata Borralheira”, a jovem vestia roupas velhas e tinha que fazer todo o trabalho da casa, sendo excluída de todas as outras atividades. Com uma vida bastante solitária, ela apenas podia contar com os animais da região, que surgiam para animá-la.

Um dia, o Rei anunciou que daria um baile onde o Príncipe iria procurar a sua futura esposa e ordenou que todas as moças solteiras deveriam comparecer. Com o auxílio dos animais, Cinderela fez um vestido com retalhos para usar no baile. As três mulheres, intimidadas pela imagem deslumbrante da menina, acabaram rasgando a roupa, para impedir que ela fosse à festa.

Sem nada para vestir, a “Gata Borralheira” se recolheu no seu quarto, chorando e desejando que algo maravilhoso acontecesse. Foi aí que surgiu uma figura inesperada: uma mulher mais velha, que anunciou ser a sua Fada Madrinha e ter chegado para ajudá-la.

A Fada, agitando a sua varinha, vestiu e arrumou Cinderela da forma mais elegante, fazendo até surgir sapatinhos de cristal nos seus pés. Em seguida, fez aparecer uma carruagem e transformou os animais que acompanhavam Cinderela em empregados.

No final disso tudo, colocou apenas uma condição: a jovem deveria voltar para casa antes da meia-noite porque nesse horário os efeitos da magia terminariam. Chegando na festa, a “Gata Borralheira” estava irreconhecível e todos pensavam que se tratava de uma princesa desconhecida. Assim que o Príncipe viu a moça, ficou arrebatado pela sua imagem e a puxou para dançar.

Nessa noite, um clima de romance foi crescendo entre os dois que conversaram e riram durante horas. De repente, Cinderela percebeu que estavam prestes a soar as doze badaladas do relógio e teve que sair correndo. No caminho, ela acabou perdendo um dos seus sapatos de cristal, que o Príncipe guardou, já que era a única pista sobre a identidade da moça.

A partir desse momento, o Príncipe dedicou todos os seus esforços na busca daquela mulher, declarando que todas as jovens da região deveriam experimentar o sapato de cristal. Embora muitas tenham tentado fingir que eram as donas do objeto, o sapato mágico nunca servia nos seus pés.

Quando a comitiva real chegou na casa de Cinderela, a madrasta a trancou no sótão, para que só as suas filhas fossem apresentadas ao Príncipe. Mesmo com muito afinco, nenhuma conseguiu calçar o sapato. Foi aí que perceberam que a “Gata Borralheira” estava em casa e mandaram chamá-la.

Assim que ela chegou, o Príncipe reconheceu a jovem com quem tinha dançando e quando Cinderela foi experimentar o sapato, era a medida perfeita para o seu pé. Depois do reencontro, Cinderela e o Príncipe se casaram e se mudaram para o castelo, onde governaram e viveram felizes para sempre.

 

O MUNDO DOCE DE NOEL

Quem nunca quis se deliciar com bengalas de caramelo ou pirulitos gigantes de doces?
Ah, neste ano, os duendes de Papai Noel preparam nesta estação um acolhimento adocicado e colorido para a diversão das crianças e o deleite dos pais. O local privilegiado no Relógio das Flores abriga a casa do Papai Noel. Rodeado de cores e sabores, é mais uma estação onde a nossa viagem no reino Encantado do Natal abrilhantará sorrisos e alegrias.

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

Contato

© Site desenvolvido pela SECOM / SECULT da Prefeitura Municipal de Garanhuns. 

-2021-